O que é Montessori?

Por Márcia Righetti -

Segundo Alicia Renton, se perguntassem à Maria Montessori o que é “Montessori”, ela responderia:

– Montessori sou eu.

Alicia Renton foi reconhecida pela American Montessori Society com o prêmio “Legado vivo”, atribuído aos montessorianos que se dedicam a propagar o legado de Maria Montessori. Mexicana de nascimento, radicou-se no Colorado (EUA) atuando como guia, palestrante internacional e formadora. Ela esteve no Brasil para a Conferência Montessori Latino- Americana promovida pela Organização Montessori do Brasil, onde tive oportunidade de conhecê-la e aprender com ela.

Das respostas simples de Montessori às indagações de seus contemporâneos até os dias de hoje, o trabalho da médica italiana vem sendo cada vez mais reconhecido.

Já são mais de cem anos de aplicação de pressupostos, estratégias didáticas e de uma filosofia de educação que se iniciou em 1907 na Casa Dei Bambini, do bairro de San Lorenzo, em Roma.

Seu principal instrumento de trabalho, como médica e cientista que foi, antes de abraçar a Pedagogia, foi a observação. Investigar o que as crianças mostravam em seu processo de desenvolvimento, nas formas como aprendiam e como estabeleciam as relações no mundo. Uma escuta profunda do universo infantil.

Disso resultou sua primeira obra dedicada à educação, “O método da Pedagogia Científica aplicado à educação infantil na Casa dei Bambini”, lançado em 1909 pela Casa Editrice S. Lapi, de Città di Castello, obra publicada pelo mundo afora e reeditada, em 1950, sob o título de “A descoberta da criança”.

De lá para cá, a ciência esclareceu e ratificou o que a Dra. Montessori – sem dúvida uma visionária, com são os cientistas – apontara como princípios básicos para uma educação que vivenciasse plenamente o conceito de educação: trazer para fora o que está dentro.

Com o advento da Neurociência, por volta de 1970, muitas afirmações de Montessori sobre o desenvolvimento e o funcionamento do cérebro tiveram confirmação pelos exames de imagem, e o que muitas vezes nesse processo foi visto como crença confirmou-se como ciência.

Assim, pressupostos como uma educação ativa, um ambiente preparado e a livre escolha passam a permear projetos inovadores que se espalham pelo mundo, além da “escuta” das crianças e dos adolescentes, a função de guia da professora, ajudando à medida que cada um precisa se posicionar diante das oportunidades da vida.

Registros feitos numa documentação pedagógica que foge ao padrão dos boletins, resultados de provas que são cada vez mais abolidos do cenário da educação.

O processo educativo passa a ter o protagonismo da criança e dos jovens em sistemas educacionais espalhados pelo mundo, sementes montessorianas que germinam vigorosas.

Tenho visitado escolas por vários países e continentes e, ao observar o encantamento dos educadores nas práticas que já fazemos há mais de cem anos, fico feliz com nossa escolha!

E se me perguntassem hoje o que é Montessori, respondo…

O legado de uma mulher que amava a humanidade, que se preocupava com a educação das crianças para que se construíssem como adultos éticos e competentes.

Que, como cientista, conhecia os processos de aprender que o cérebro desenvolve, que observou e investigou a criança e o desenvolvimento humano.

Baseando-se em seus estudos, os quais sempre dizia que deveriam ser continuados por seus seguidores, deixou uma rica documentação pedagógica para orientar aqueles que desejassem seguir seus passos na educação das crianças.

“Montessori” – hoje entendido como um sistema educativo, com partes que se integram e se completam para atender às diferentes características das crianças em cada etapa do seu desenvolvimento natural, tem como objetivo desenvolver o potencial humano para formar adultos éticos, ativos e assertivos que possam transformar o mundo num lugar melhor a cada dia.

Márcia Righetti é educadora, fundadora e diretora pedagógica da Aldeia Montessori.